Técnicas de iluminação

Poucas pessoas sabem, mas a iluminação residencial além de ser funcional, é também um elemento decorativo que pode mudar completamente a aparência do seu espaço.

Dar amplitude, destacar detalhes e proporcionar o tom que você deseja ao seu cômodo, são alguns dos papéis de uma decoração bem feita.

Com alguns truques, você pode tornar o seu ambiente muito mais agradável e até mesmo economizar energia.

Antigamente a iluminação das residências era limitada a um ponto de luz central no teto. E hoje podemos observar esta mudança, pois com o tempo, as tendências se transformaram e as luminárias tornaram-se um ponto chave da decoração.

Atualmente, o segredo é investir em abajures, colunas, plafons, arandelas, pendentes, tudo que possa ampliar o leque de opções de luz num mesmo ambiente. Assim é possível criar “climas” e “atmosferas” distintas atendendo a diferentes necessidades, em diferentes ocasiões.

Aqui, você conhecerá um pouquinho sobre cada um destes tipos de luminárias.

– Arandelas: As arandelas oferecem uma luz difusa e ao mesmo tempo concentrada, o que é ótimo pois traz a vantagem de não agredir os olhos e criar um clima gostoso em sua casa. São bons elementos cenográficos que podem ser usados interna e externamente. É importante lembrar que as arandelas são luminárias complementares, ou seja, estão no ambiente apenas para auxiliar uma luminária central. São também muito versáteis, pois você pode encontrá-las em diferentes formas geométricas e com diferentes possibilidade de projeção da luz, como no exemplo da imagem abaixo.

 

Arandelas

 

– Plafons: Os plafons têm cada vez mais destaque nos interiores dos ambientes. São instalados diretamente no teto e oferecem diferentes intensidades de iluminação. Estão disponíveis no mercado em opções variadas, do clássico ao moderno, e por isso são versáteis assim como as arandelas. Os modelos de sobrepor são muito práticos pois apenas se “encaixam” no teto, então não necessitam de nenhum tipo de alteração na estrutura das paredes. Em salas de estar e ambientes de convivência é recomendada a utilização de plafons em pontos centrais, com lâmpadas fortes e duráveis, assim a iluminação é feita de maneira mais ampla e clara. A iluminação fica ainda mais especial com produtos em cristal, que deixam o ambiente mais sofisticado.

 

Plafons

 

– Pendentes:  As luminárias pendentes descem do teto por fios elétricos e, em certos casos, através de cabos. São muito charmosas e compõem bem a decoração. São ideais para iluminação de bancadas, mesas de refeições, mezaninos e laterais de cama. O interessante é observar como os pendentes viram protagonistas da decoração nos ambientes residenciais. Eles, além de iluminar, revelam o estilo do local, trazendo aconchego e decorando o espaço.  Uma ótima sugestão para usá-los é “brincar” com a verticalidade do espaço, sair um pouco da planta baixa, colocando as coisas para cima, voando. Certamente, sua decoração vai ficar bem mais interessante com esses elementos. São ousados, irreverentes, limpos e com proposta de inovar o espaço. Existem vários modelos de pendentes super modernos que podem trazer iluminação e praticidade à decoração.

Pendentes

 

– Colunas: Luminárias neste estilo são perfeitas para ficar ao lado de um sofá no estilo contemporâneo, num ambiente jovem e despojado. As luminárias de coluna geralmente são articuladas e são daqueles tipos de itens que ficam bem em qualquer sala de estar, não deixando brechas para erros de decoração. Atualmente, colunas no estilo vintage estão em alta, principalmente as que remetem a Iluminação industrial, sendo perfeitas para  interiores modernos.

 

 Colunas

 

Algumas dicas básicas podem te ajudar a escolher a melhor luminária e o melhor local para colocá-la.

– Você pode definir o espaço e torná-lo visualmente mais confortável, direcionando a iluminação para os seus planos de trabalho (mesas, bancadas e balcões), tornando o uso da luz mais eficiente e mais econômica. O ideal é usar as luminárias em áreas onde se realiza alguma tarefa, seja ela ler, escrever, cozinhar, lavar, jogar etc… Mas a colocação requer alguns cuidados para que não produza sombras e nem atrapalhe a atividade. Para ler e escrever, por exemplo, utiliza-se, em geral, luz bem difusa e abundante, vinda por cima dos ombros ou pela lateral.

– Utilizar abajures, arandelas ou colunas proporciona conforto na medida em que clareia as paredes e o teto. Você pode também aplicar a técnica do destaque, focalizando uma luz extra para objetos ou superfícies selecionados como quadros, estantes etc. Se permita “brincar” colocando luminárias estilizadas e coloridas para dar um toque de charme e contemporaneidade ao seu ambiente.

Dica: Nossa linha Lusbe tem abajures incríveis e modernos para você se divertir!

Outro fator que deve ser levado em consideração é o tipo de lâmpada. As fluorescentes de um modo geral, geram pouco calor, produzem mais luz e duram mais que as incandescentes. São usadas quando se quer grande quantidade de luz em um uso contínuo e ininterrupto, o que acontece em espaços como salas, quartos, cozinhas e áreas de serviço.

Você deve pensar nas atividades de cada cômodo. Por exemplo, Na sala de estar o ideal é ter uma luz principal feita por lustre, plafon ou pendente e versatilizar com luz indireta (auxiliar) de abajures e colunas.

Já no quarto, é bom evitar luminárias que deixem as lâmpadas aparentes, pois estas podem incomodar alguém que esteja deitado. Utilize luz de leitura próxima à beira da cama composta por abajur, arandela ou colunas com luz direcionada.

Na sala de jantar, luminárias pendentes ficam bem bacanas no centro da mesa, destacando o que estiver sobre ela, como um jarro de flores por exemplo. A luz geral pode ser controlada por dimmers (moduladores de intensidades), de acordo com a ocasião.

Essas são apenas algumas dicas e técnicas para você que está pensando em dar um charme a mais na sua casa. Lembrando que quem manda é você e sua criatividade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *